Coleção Berardo (1960–2010) – Exposição Permanente

Neste piso, a apresentação da coleção do museu é dedicada ao período que se inicia em 1960 e se prolonga por cinco décadas. A exposição agrupa os mais significativos movimentos artísticos das neovanguardas, como sejam o minimalismo, o conceptualismo, o pós-minimalismo, a land art ou a arte povera, entre outros. No curso destes movimentos, o objeto artístico foi sofrendo uma profunda reconfiguração das suas categorias tradicionais, pelo que a sua manifestação implicou não só a realização de pressupostos apenas vislumbrados pelas vanguardas históricas como também um refazer no depois daquele tempo.

O percurso inicia-se com as experiências minimalistas, que reclamaram o primado da experiência percetiva sobre o conhecimento linguístico do objeto artístico, a que se seguiu um aprofundamento do sensorialismo, já não restringido ao âmbito da visão mas sim extensível aos movimentos do corpo do observador. A interrogação do conceptualismo sobre o papel da linguagem verbal e a relação desta com a imagem, geralmente fotográfica, definiu uma outra ordem para o objeto artístico, que perdeu a sua relação com o fazer artesanal e se posicionou como ideia daquilo que pode ser enquanto arte. Se a arte minimal havia valorizado o objeto produzido industrialmente, a arte povera italiana veio confrontar essa determinação tecnológica com o valor das substâncias naturais e a memória poética decorrente, numa dialética crítica. Por seu turno, a land art veio alargar o campo de atuação artística para a própria paisagem e da própria paisagem para o museu. A emergência do corpo como meio de realização artística preocupou vários artistas no início da década de 1970, e os trabalhos destes são documentos de ações artísticas que perduram a partir daqueles testemunhos. A par disto, são apresentadas a emergência da prática do vídeo, com a diversidade de posicionamentos que lhe dão origem, e a nova fotografia alemã, sistemática e documental dos monumentos de uma ordem económica oriunda de uma cultura que havia rejeitado o objeto artístico.

No panorama destas cinco intensas décadas, cruzam-se alguns dos principais posicionamentos artísticos do Ocidente no terceiro quartel do século xx e na primeira década do século xxi.

Pedro Lapa
Curador

Visitas Guiadas

SEXTA-FEIRA – 27 Julho
19h30 – Helena Almeida (exposição “Coleção Berardo 1960-2010”)
20h30 – Alighiero e Boetti (exposição “Coleção Berardo 1960-2010”)

SÁBADO – 28 Julho
19h30 – Anish Kapoor (exposição “Coleção Berardo 1960-2010”)
20h30 – Christian Boltanski (exposição “Coleção Berardo 1960-2010”)

© All Rights reserved.