Tiago Bettencourt

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 22h30

Autor de várias composições de referência da nova música portuguesa, Tiago Bettencourt apresenta em 2013 um concerto onde revisita os temas mais marcantes do seu percurso. Foi há 10 anos que embarcou naquela que seria a sua primeira aventura em estúdio, com Toranja, marcando para sempre o panorama musical português.

A riqueza da simplicidade dos seus poemas e melodias depressa captou a atenção do público e se “Esquissos” foi um sucesso de vendas, o álbum “Segundo” também não ficou aquém. Temas inesquecíveis como “Carta” e “Laços” são indissociáveis das suas melodias e da sua voz marcante. Já em 2006 os Toranja anunciam uma pausa prolongada. É então que Tiago Bettencourt parte para o Canadá e tendo como banda de apoio os Mantha, grava o álbum “Jardim”, editado em 2007 com o grande êxito “Canção Simples”. Em 2010, é editado “Em fuga”com o single “Só mais uma volta”. A mesma edição exclusiva CD DVD contém imagens inéditas de estúdio durante a gravação de «Em Fuga», juntamente com uma filmagem de músicas do primeiro álbum a solo do músico. O DVD resulta numa longa-metragem que acompanha vários momentos da carreira do músico até ao presente álbum.

No final do ano de 2011 é editado o álbum, “Tiago na Toca e os Poetas”, um projecto à parte que reúne uma série de poemas musicados por Tiago Bettencourt, bem como algumas versões gravadas no verão de 2008, entre os álbuns “O Jardim” e “Em Fuga”. Neste álbum, que surge acompanhado de um livro, Tiago o músico canta poemas de autores portugueses como Florbela Espanca e José Carlos Ary dos Santos, na companhia de amigos, entre eles, Carminho, Camané, Fernando Tordo, entre outros. A 26 de Novembro de 2012 chega às lojas o mais recente trabalho de Tiago Bettencourt.

O regresso aos discos é também uma imensa celebração: reunido de convidados e munido dos melhores momentos de uma carreira exemplar, «Acústico» assinala um percurso de uma década de muitas experiências e sucesso, que não só revelou uma das maiores vozes nacionais como trouxe um dos grandes autores da sua geração. Registado num concerto único, em estúdio, em «Acústico» recria-se de forma simples e original momentos incontornáveis como «Carta», o primeiro single, «Laços», «Canção Simples», «Só Mais Uma Volta», entre muitos outros. Mas, na aventura de olhar o passado, «Acústico» também apresenta as pistas para o futuro, através do inédito «Temporal». «Acústico» nasceu num espectáculo íntimo, gravado no passado Verão, perante cerca de 60 pessoas.

O álbum conta com duas colaborações de luxo: Lura e Jorge Palma. Segundo Tiago Bettencourt, «este álbum é o que é: o conjunto das músicas que, desde o meu princípio como músico, o grande público foi escolhendo como suas preferidas. Canções despidas e rearranjadas, ao vivo, sem truques».

Cais do Sodré Funk Connection

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 23h00

O título do último disco dos Cais Sodré Funk Connection, editado em 2016, “Soul, Sweat & Cut the Crap”, diz-nos praticamente tudo o que importa saber sobre a música que fazem: vem da alma, exige energia e entrega, e é honesta e directa. Sem truques, sem artifícios, sem efeitos especiais ou enquadramentos artificiais de modas vazias.

O som dos Cais Sodré Funk Connection é, obviamente, canalizado através dos grandes: de James Brown e Aretha Franklin, de Marvin Gaye e Etta James, reis e raínhas que ainda hoje são referências incontestadas onde quer que se valorize o poder da alma acima do ruído das luzes. Uma linhagem nobre que sustentou revoluções como o Civil Rights Movement e meteu um presidente na Casa Branca e que hoje é defendida por verdadeiros combatentes do amor como Sharon Jones ou Charles Bradley. A música dos Cais Sodré Funk Connection é da mesma estirpe, tem o mesmo nervo. Como o jazz ou o rock and roll, que se tornaram linguagens universais e globalizadas, também a soul por aqui faz sentido. Também se canta nas igrejas de cá. E igreja pode ser um sítio qualquer onde se expõe a alma. Durante muito tempo os Cais Sodré Funk Connection fizeram das noites de quinta feira momento de peregrinação especial para uma cerimónia de ritmo no Musicbox. Foi aí que conquistaram fãs. E dos palcos para o estúdio foi um pequeno passo, de dança.

João Gomes, Francisco Rebelo, David Pessoa, João Cabrita, José Raminhos, Miguel Marques e Rui Alves são os inexcedíveis instrumentistas de serviço, poços de bom gosto em que sabe bem mergulhar. À frente, a classe pura de Silk e Tamin que injectam alma em cada tema como se o Cais Sodré fosse ali algures ao lado de Memphis, um sítio obrigatório para passar a caminho dos estúdios da Stax.

Música assim não se prende ao tempo, só à alma de quem a ela se entrega.

DJ Ride

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 00h
  • Ride-2-©-Aidan-Kless
  • Ride-3-©-Aidan-Kless
  • DJ RIDE PORTRAIT FOR PROMOTIONAL USE

    DJ RIDE PORTRAIT FOR PROMOTIONAL USE

DJ Ride é muitas coisas. É metade dos Beatbombers com Stereossauro. É campeão do mundo de scratch. É detentor de seis títulos de campeão a nível nacional. É um nerd do scratch, um DJ com capacidade para rockar festas sejam elas de que tamanho forem. É sound designer e produtor com vários EP’s e três álbuns no currículo, “Psychedelic Soundwaves”, “Turntable Food” e “Life in Loops”. É um digger dedicado, como muito bem o demonstra o documentário Discos Perdidos. É um pioneiro, facto que pode ser justificado, por exemplo, com o seu espetáculo Pixel Trasher. Ride é, mesmo, muitas coisas. Mas basta uma para o definir da forma mais profunda e mais simples possível: Ride é um apaixonado por música.

Com os skills correntemente ao rubro, fruto de uma incansável vida na estrada que o leva a contabilizar centenas de gigs por ano, em clubes e festivais, de Lisboa a Londres, da Sérvia à Polónia, de Ibiza a França, DJ Ride demonstra igualmente uma enorme generosidade e abertura no que à música diz respeito: dubstep, hip hop, drum n’ bass, eletrónica dos mais diferentes   recortes. Nenhum território é deixado inexplorado pela natural curiosidade de DJ Ride. A recompensa tem chegado de muitas formas, com convites para os mais conceituados festivais e clubes e com a partilha de palcos e cartazes com referências como Q-Bert, Gaslamp Killer, Dam-Funk, A-Trak, Flying Lotus, Steve Aoki ou Moderat. E é com nomes dessa dimensão que Ride está verdadeiramente entre os seus pares. Tudo isto tem valido a Ride um reconhecimento por que qualquer DJ anseia: o de que é igualmente um músico. Convites para tocar com músicos tão distintos como André Fernandes ou Legendary Tigerman; para remisturar bandas como Balla, Micro Audio Waves ou artistas como Kika Santos; a juntar aos recentes discos que produziu para Capicua e Jimmy P são justa conta do alcance da sua visão musical. O nome de Ride já não é, por isso mesmo, estranho na imprensa, na tv, na rádio ou na web. É uma certeza.

Na discografia carrega Life in Loops (2012), um álbum repleto de surpresas que confirmou Ride como sinónimo de talento, qualidade, inovação e espírito de aventura, valores que devem ser sempre procurados na música e que o homem de Psychedelic Soundwaves e Turntable Food nunca perdeu de vista. Para 2015, Dj Ride garante o regresso às edições, desta vez com um LP que promete abalar as frequências dos sistemas de som. Com data de lançamento prevista para Maio, o disco será acompanhado de um novo formato ao vivo, Pixel Trasher II. Quer estejam instalados num clube, num festival com milhares de pessoas ou a ouvir nos auscultadores, Dj Ride é um must listen nas novidades deste ano.

Sean Riley & The Slowriders

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 23h

Tudo começou em 2007 com a edição de Farewell, onze belíssimas canções que projectaram Sean Riley & The Slowriders como autores de uma das melhores estreias discográficas da história da música produzida em Portugal.

A relevância dada a Farewell e consequente exposição mediática da banda elevaram a fasquia para o segundo disco – e a banda respondeu com um inspirado Only Time Will Tell.

Aclamado pela crítica, sustentado com grandes prestações ao vivo, caso do sucesso alcançado nos festivais de Paredes de Coura e Alive, e com dois discos editados no Benelux (Bélgica, Holanda e Luxemburgo) pela Sonic Rendezvous.

Seguiu-se a edição nacional de “It’s Been A Long Night” um disco cheio de luz em que o grupo se permitiu absorver todas as referências que povoam o seu imaginário artístico.

Depois de 3 anos afastados dos palcos para prosseguirem projectos paralelos (como no caso de Afonso Rodrigues com Keep Razors Sharp), 2015 marca o regresso aos palcos e 2016 o regresso aos discos de originais, com o lançamento do álbum homónimo Sean Riley & The Slowriders”. Dili, Greetings e Gipsy Eyes são os singles de apresentação deste álbum.

Marta Hugon

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 21h

Bittersweet é o mais recente álbum de Marta Hugon, e reúne canções originais que ela escreveu como pequenos contos. O disco, composto em parceria com Filipe Melo, dá corpo e respiração a histórias ora doces, ora amargas, sérias ou subversivas. Numa viagem através das fronteiras de género — visita-se o jazz, os blues o funk e a pop —, não faltam pastiches tipo boy meets girl, nem uma orquestra a tocar uma “Silly Little Song”. Em concerto, Bittersweet ganha vida própria na companhia de Óscar Graça nas teclas, Mário Delgado na guitarra, Nelson Cascais no baixo e André Sousa Machado na bateria. É ao vivo, com estes músicos de excepção, que a cantora oferece o melhor da sua voz: madura, versátil e sempre emotiva, numa escrita que pára para apreciar e cantar o caminho.

Thunder & Co.

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 23h

Os Thunder & Co são uma banda de música de dança a atirar para o emocional cujo som é caracterizado pelas batidas balançantes envoltas em acordes tristonhos e ambientes tensos. Pelo menos é o que tem saído da fábrica de trovões em Lisboa, propriedade de Rodrigo Gomes e Sebastião Teixeira. Estes dois amigos casam os gostos, discutem, negoceiam e, juntamente com o seu fiel produtor, Duarte Ornelas, chegam ao som dos Thunder & Co.

A banda estreou-se em Março de 2014 com um EP homónimo e com o single “O.N.O.” que teve grande aceitação nas rádios e suscitou o interesse da editora NOS Discos.

Os convites para actuarem ao vivo começaram a surgir e a estreia em palco aconteceu na primeira edição do festival de música electrónica Lisb_On. Até ao final do ano, e depois de gravarem “Do it”, um single feito em colaboração com o produtor português Ka§par, os Thunder & Co. actuaram no Musicbox, na 1ª parte de Taylor McFerrin e no NOS Club (Casa da Música). Entre actuações, estiveram concentrados em gravar este o primeiro disco.

Dynamic Duo (Stikup + DJ Cruzfader)

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 02h30

Uma dupla que dispensa apresentações, composta por dois DJs e produtores com uma vasta e longa carreira no DJing nacional.

DJ Cruzfader, o mais conhecido DJ de Hip Hop nacional, conhecido por trabalhar com os melhores nomes do género. Vencedor de Três Prémios “Dance Club” é igualmente DJ oficial de Sam the Kid e membro dos Orelha Negra, uma das bandas mais requisitadas e escutadas a nível nacional.

Stikup, tecnicamente dotado, triplo vice campeão de scratch (DMC & IDA).  Fundador e membros dos Makongo, detêm várias participações com nomes na música urbana portuguesa, entre eles Sam The Kid, Valete, Boss AC, Tekilla, Kacetado entre outros.

Dynamic Duo trazem sempre consigo um selo de originalidade onde os gira discos são o principal factor. Com uma leitura de pista acima da média, conseguem sempre misturar vários estilos, desdo o hip hop, passando por trap, moombaton, dancehall, twerk e até rock. Sempre com uma criteriosa seleção musical.

A aposta para 2017 é a curadoria das festas façam barulho com participação de nomes fortes do hip hop nacional, bem como a produção, com o lançamento de várias músicas ao longo do ano.

DJ JonyDaFox

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 01h00

Há 8 anos que o João Conceição metia o nariz nas playlists onde era chamado. Rapidamente ganhou o gosto aos pratos, assumiu-se como JonyDaFox e passou dos Sunsets para as pistas, e das pistas para os festivais! Das 50 pessoas num fim de tarde às 5000 no Festival do Crato, o empenho é sempre o mesmo e a versatilidade infinita. Na sua calma, aparenta não partir um prato, todavia, parte a loiça toda.

Valter Lobo

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 21:00

Valter Lobo, músico e advogado do Porto, apresenta-nos “Mediterrâneo”, primeiro álbum de originais depois de um muito bem sucedido “Inverno EP”.Valter Lobo, músico e advogado do Porto, apresenta-nos “Mediterrâneo”, primeiro álbum de originais depois de um muito bem sucedido “Inverno EP”.

Sempre com o português em punho e voz pujante, com as componentes lírica e sonora marcadas por um grande sentimentalismo e melancolia, faz uma reaproximação ao calor humano e ao mundo, na busca de um clima mais ameno, despido de materialismo e onde os bens essenciais à sobrevivência são a proximidade com o mar.

Ao vivo, o concerto é de entrega intensa e proximidade desarmante. Um grande valor da nova música portuguesa.

Janeiro

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 22h

Janeiro, desde cedo se apaixonou pela música. Aos 13 anos começa a tocar guitarra, hobbie este que foi desenvolvendo até se transformar num fio condutor para o crescimento de Janeiro como artista. Aos 18 anos decide deixar a sua cidade natal, Coimbra, para se mudar para Lisboa com o intuito de estudar Jazz no Hot Clube De Portugal, Musicologia na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas e dar-se a conhecer ao mundo como músico e compositor.

No último ano da sua licenciatura, com 20 anos de idade, apresentou o EP de estreia “Janeiro”. Gravado no seu home studio improvisado, onde o talento e a força de vontade foram maiores que as próprias condições num trabalho discográfico meio alternativo, que pisca o olho ao fado e ao jazz, mas também à R&B electrónica.
Com influências que vão desde o rock até à bossa nova, passando pelo jazz e música clássica, Janeiro tem uma visão muito clara sobre o caminho a percorrer. Quer continuar a crescer como artista e apresentar canções pop elegantes e sofisticadas que reflitam a vida de todos nós e que, ao mesmo tempo, o identifiquem.