DJ Ride

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 00h
  • Ride-2-©-Aidan-Kless
  • Ride-3-©-Aidan-Kless
  • DJ RIDE PORTRAIT FOR PROMOTIONAL USE

    DJ RIDE PORTRAIT FOR PROMOTIONAL USE

DJ Ride é muitas coisas. É metade dos Beatbombers com Stereossauro. É campeão do mundo de scratch. É detentor de seis títulos de campeão a nível nacional. É um nerd do scratch, um DJ com capacidade para rockar festas sejam elas de que tamanho forem. É sound designer e produtor com vários EP’s e três álbuns no currículo, “Psychedelic Soundwaves”, “Turntable Food” e “Life in Loops”. É um digger dedicado, como muito bem o demonstra o documentário Discos Perdidos. É um pioneiro, facto que pode ser justificado, por exemplo, com o seu espetáculo Pixel Trasher. Ride é, mesmo, muitas coisas. Mas basta uma para o definir da forma mais profunda e mais simples possível: Ride é um apaixonado por música.

Com os skills correntemente ao rubro, fruto de uma incansável vida na estrada que o leva a contabilizar centenas de gigs por ano, em clubes e festivais, de Lisboa a Londres, da Sérvia à Polónia, de Ibiza a França, DJ Ride demonstra igualmente uma enorme generosidade e abertura no que à música diz respeito: dubstep, hip hop, drum n’ bass, eletrónica dos mais diferentes   recortes. Nenhum território é deixado inexplorado pela natural curiosidade de DJ Ride. A recompensa tem chegado de muitas formas, com convites para os mais conceituados festivais e clubes e com a partilha de palcos e cartazes com referências como Q-Bert, Gaslamp Killer, Dam-Funk, A-Trak, Flying Lotus, Steve Aoki ou Moderat. E é com nomes dessa dimensão que Ride está verdadeiramente entre os seus pares. Tudo isto tem valido a Ride um reconhecimento por que qualquer DJ anseia: o de que é igualmente um músico. Convites para tocar com músicos tão distintos como André Fernandes ou Legendary Tigerman; para remisturar bandas como Balla, Micro Audio Waves ou artistas como Kika Santos; a juntar aos recentes discos que produziu para Capicua e Jimmy P são justa conta do alcance da sua visão musical. O nome de Ride já não é, por isso mesmo, estranho na imprensa, na tv, na rádio ou na web. É uma certeza.

Na discografia carrega Life in Loops (2012), um álbum repleto de surpresas que confirmou Ride como sinónimo de talento, qualidade, inovação e espírito de aventura, valores que devem ser sempre procurados na música e que o homem de Psychedelic Soundwaves e Turntable Food nunca perdeu de vista. Para 2015, Dj Ride garante o regresso às edições, desta vez com um LP que promete abalar as frequências dos sistemas de som. Com data de lançamento prevista para Maio, o disco será acompanhado de um novo formato ao vivo, Pixel Trasher II. Quer estejam instalados num clube, num festival com milhares de pessoas ou a ouvir nos auscultadores, Dj Ride é um must listen nas novidades deste ano.

Octa Push

Band :
Title : 16 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 23h

Octa Push é um projeto que funde música lusófona com ligações aos PALOP, com eletrónica, formado por dois irmãos (Leo e Bruno) de Carcavelos/Lisboa. Já pisaram palcos como Sonar Festival, Fabric, Glade Festival, Amsterdam Dance Event, NOS Alive, SBSR, MED, RiR, CCB, Casa da Música, Lux, entre outros. A nível editorial, destacam-se lançamentos de temas originais em editoras como Soul Jazz Records, Soundway Records, Iberian Records, Enchufada e o apoio de nomes como SBTRKT, Thom Yorke (Radiohead) ou Gilles Peterson (BBC).

Depois de em 2013 terem editado “Oito”- considerado um dos melhores álbuns de 2013 (Blitz, Sapo, Punch, Vodafone FM) – os irmãos Octa Push acabam de lançar “Língua”. Um disco quase inteiramente em português e uma homenagem à música lusófona que tem sido feita nos últimos 40 anos. “Língua” é comunicar, reivindicar, gritar! Conta com convidados como Tó Trips (Dead Combo), Batida, Cachupa Psicadélica, Cátia Sá (ex-Guta Naki), Maria João Grancha, Ary (Blasted Mechanism), João Gomes (Orelha Negra) , Braima Galissa, Alex (Terrakota), AF Diaphra, Gospel Collective, entre outros.

Surma

Band :
Title : 16 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 23h00

Débora Umbelino é original de Leiria mas o que nos traz vem de locais bem mais exóticos. SURMA, é o seu projecto one-woman-band, onde domina teclas, samplers, cordas, vozes e loop stations em sonoridades que fogem do jazz para o post-rock, da electrónica para o noise e nos levam para paragens mais ou menos incertas, com paisagens desconhecidas e muito prazer na viagem.
O primeiro single/video de apresentação “Maasai” é produzido por Emanuel Botelho (Ex-Sensible Soccers) e misturado e masterizado por Paulo Mouta Pereira. O Video, de Eduardo Brito, foi filmado na cidade fantasma de Doel.
Ao longo dos último ano Surma foi actuando de norte a sul do país, passando por festivais como o Super Bock Super Rock, Milhões de Festa ou Lisb On e levou o seu concerto a países como Espanha, França, Suécia, Reino Unido e Alemanha.
Está prestes a finalizar a gravação do primeiro disco, “Antwerpen”, que não terá nenhum dos temas que habitualmente tem tocado ao vivo.
“Hemma”, o primeiro single do disco de estreia, acabou de ser apresentado.

Thunder & Co.

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 23h

Os Thunder & Co são uma banda de música de dança a atirar para o emocional cujo som é caracterizado pelas batidas balançantes envoltas em acordes tristonhos e ambientes tensos. Pelo menos é o que tem saído da fábrica de trovões em Lisboa, propriedade de Rodrigo Gomes e Sebastião Teixeira. Estes dois amigos casam os gostos, discutem, negoceiam e, juntamente com o seu fiel produtor, Duarte Ornelas, chegam ao som dos Thunder & Co.

A banda estreou-se em Março de 2014 com um EP homónimo e com o single “O.N.O.” que teve grande aceitação nas rádios e suscitou o interesse da editora NOS Discos.

Os convites para actuarem ao vivo começaram a surgir e a estreia em palco aconteceu na primeira edição do festival de música electrónica Lisb_On. Até ao final do ano, e depois de gravarem “Do it”, um single feito em colaboração com o produtor português Ka§par, os Thunder & Co. actuaram no Musicbox, na 1ª parte de Taylor McFerrin e no NOS Club (Casa da Música). Entre actuações, estiveram concentrados em gravar este o primeiro disco.

Dynamic Duo (Stikup + DJ Cruzfader)

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 02h30

Uma dupla que dispensa apresentações, composta por dois DJs e produtores com uma vasta e longa carreira no DJing nacional.

DJ Cruzfader, o mais conhecido DJ de Hip Hop nacional, conhecido por trabalhar com os melhores nomes do género. Vencedor de Três Prémios “Dance Club” é igualmente DJ oficial de Sam the Kid e membro dos Orelha Negra, uma das bandas mais requisitadas e escutadas a nível nacional.

Stikup, tecnicamente dotado, triplo vice campeão de scratch (DMC & IDA).  Fundador e membros dos Makongo, detêm várias participações com nomes na música urbana portuguesa, entre eles Sam The Kid, Valete, Boss AC, Tekilla, Kacetado entre outros.

Dynamic Duo trazem sempre consigo um selo de originalidade onde os gira discos são o principal factor. Com uma leitura de pista acima da média, conseguem sempre misturar vários estilos, desdo o hip hop, passando por trap, moombaton, dancehall, twerk e até rock. Sempre com uma criteriosa seleção musical.

A aposta para 2017 é a curadoria das festas façam barulho com participação de nomes fortes do hip hop nacional, bem como a produção, com o lançamento de várias músicas ao longo do ano.

DJ JonyDaFox

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 01h00

Há 8 anos que o João Conceição metia o nariz nas playlists onde era chamado. Rapidamente ganhou o gosto aos pratos, assumiu-se como JonyDaFox e passou dos Sunsets para as pistas, e das pistas para os festivais! Das 50 pessoas num fim de tarde às 5000 no Festival do Crato, o empenho é sempre o mesmo e a versatilidade infinita. Na sua calma, aparenta não partir um prato, todavia, parte a loiça toda.

LOT

Band :
Title : 15 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 21h30

LOT é um projecto que funde canções introspectivas e românticas com uma electrónica escura e forte. Baseado em Lisboa, o trio Pedro Sacchetti, José Evangelista e Rui Rodrigues lançou o primeiro single em 2016. Apesar da curta existência, já pisaram palcos como o Coliseu dos Recreios, Casa da Música e NOS Alive. LOT fazem também parte da music boutique SILVER SIDE (Califórnia, USA) ao lado de artistas como Tricky, The Herbaliser, The Breakestra e Ziggy Marley. Depois de em abril de 2017 terem lançado o primeiro álbum “Mother Board” acompanhado dos singles “Take a Look” e “Staying in Tonight, aos que se juntou um rework da “All I Need” dos míticos AIR, preparam-se agora para lançar novo single no final do ano, e prometem novos temas para 2018.

Sampladélicos

Band :
Title : 16 de Setembro
Label : ,
Catalog ref. : 21h30

Sílvio Rosado músico e Tiago Pereira documentarista criam uma performance audiovisual a partir das gravações de práticas musicais ou ambientes sonoros de um determinado local. Construindo por um lado um arquivo vivo de documentos de uma música/sonoridade identitária local, que pode ser consultado e que mantêm a memória viva, e por outro lado a desconstrução desse mesmo arquivo/ memória, permitindo que a comunidade se reveja e se questione e ao mesmo tempo criando um espaço lúdico de fruição onde se pode dançar a me- mória ou seguir uma história.

Exposição Permanente Museu Coleção Berardo (1960-2010)

Band :
Title : 15 e 16 de setembro
Label : , ,

A exposição agrupa os mais significativos movimentos artísticos das neovanguardas, como sejam o Minimalismo, o Conceptualismo, o Pós-minimalismo, a Land Art ou a Arte Povera, entre outros. No curso destes movimentos o objeto artístico sofreu uma profunda reconfiguração das suas categorias tradicionais, pelo que a sua manifestação implicou a realização de pressupostos apenas vislumbrados pelas vanguardas históricas e um refazer no depois desse tempo.

O percurso inicia-se com as experiências minimalistas que reclamaram o primado da experiência percetiva sobre o conhecimento linguístico do objeto artístico, a que segue um aprofundamento do sensorialismo, já não restringido ao âmbito da visão, mas extensível aos movimentos do corpo do observador.

O papel da linguagem verbal e da sua relação com a imagem, geralmente fotográfica, que o conceptualismo interrogou, define uma outra ordem para o objeto artístico, que perdeu a sua relação com o fazer artesanal e se posicionou como ideia do que pode ser enquanto arte. Se a arte minimal havia valorizado o objeto produzido industrialmente, a Arte Povera italiana veio confrontar essa determinação tecnológica com o valor das substâncias naturais e a sua memória poética, numa dialética crítica.

Por seu turno, a Land Art veio alargar o campo de atuação artística para a própria paisagem e da paisagem para o museu. A emergência do corpo como meio da realização artística preocupou vários artistas no início da década de 1970 e os seus trabalhos são documentos de ações artísticas que perduram a partir destes testemunhos. A par destes são apresentadas a emergência da prática do vídeo, com a diversidade de posicionamentos que lhe dão origem, e a nova fotografia alemã, sistemática e documento dos monumentos de uma ordem económica oriunda de uma cultura que havia rejeitado o objeto artístico.

Neste panorama de duas décadas intensas cruzam-se alguns dos principais posicionamentos artísticos do ocidente durante o terceiro quartel do século XX e a primeira década do século XXI.

Pedro Lapa
Curador

“25 minutos com …”

Band :
Title : 15 e 16 de setembro
Label : , ,

O Museu Coleção Berardo promove visitas guiadas às várias exposições patentes no museu durante o horário do Belém Art Fest.

Serão realizadas 2 visitas por sessão, cada uma delas terá a duração aproximada de 25 minutos e está limitada aos 20 participantes por sessão.

Poderá consultar os horários das visitas guiadas em baixo.

25 minutos com
19H30 Cubismo e dadaísmo
19h35 Pop Americana
19H40 Construtivismo
19H45 Pop Britânica
19H55 Neoplasticismo
20H00 Neodadísmo e Nouveau realisme
20H05 Abstração
20H10 Presentness is grace
20H20 Surrealismo
20H25 Figuração existencial
20H30 Figuração
20H35 Grupo Zero e Espacialismo
20H45 Informalismo
20H50 Arte Cinética e Op Art
20H55 Expressionismo abstrato
21H00 Nova Escola de Paris